Archive for novembro \22\UTC 2009

h1

15 days and counting…

novembro 22, 2009

luv

do Loveology

h1

"last night I dreamt that somebody loved me"

novembro 21, 2009

Tito tem 47 anos e poucos fios de cabelo brancos. Para ir ao trabalho ele desce do décimo andar de um prédio antigo, localizado quase em frente a uma praça cheia de árvores peludas. Dá seis passos para sair pela porta do edifício, vira o corpo à direita, anda mais seis passos, entra em outro edifício, sobre até o sexto andar e se senta em uma mesa com vista para a área comum de um hostel e para a praça de árvores peludas. Ali, naquela cadeira, ele observa o movimento das pessoas entrando e saindo de seus quartos e calcula a melhor hora para descer os seis andares e traçar os passos da sua segunda rotina.

De segunda a segunda, por volta 20h, Tito deixa de ser o observador para se tornar um dos personagens da área comum. Ele chega, se senta, lê um jornal ou um livro, e desaparece à percepção dos hóspedes no entra e sai de juventude pela porta principal. É apenas mais um hóspede.

Tito não é casado e não tem filhos. Tampouco tem família – dessas consangüineas, tradicionais. Suas relações são um transitar sem fim de moças bem-vestidas e perfumadas procurando “a balada” da noite, uma desenvoltura semi-estruturada na roda de assuntos com os comuns da sala comum e, quando descoberto, um explicar sem fim dos costumes, tradições e marcas de caráter da população da cidade onde mora.

Os passantes são cruéis. Cedem-lhe a conversa, mas mal lhe perguntam o nome. Ele sabe os dos que foram, os dos que estão. Suga-lhes todas as experiências possíveis de vida. As aventuras em terras estranhas, de sotaques estranhos. Os amores vividos em suas mais diversas formas. Os discursos libertários. Os dissabores das vidas errantes. A vida interessante e intensa que muito bem pode ter sido inventada, de tão pulsante. Ele se emociona, se envolve, ri, chora e suga dos transeuntes da sala comum toda a energia que eles traduzem no discurso mochileiro.

Os hóspedes voltam para casa e se despedem rápido do exercício de desapego e independência que pregaram a Tito. Tito volta para a casa, liga a TV e dorme embalado por algum filme trash da madrugada. Ele tem pavor da solidão.

h1

Boutros Boutros-Ghali

novembro 15, 2009

…é um nome que eu sempre gostei de repetir pela sonoridade terapêutica.

pura aparência.

a essência é veneno.

h1

[…]

novembro 9, 2009

quando não se bate o ponto sempre se corre dois riscos: o do trabalho de fazer inveja aos senhores da revolução industrial e o dos dias imbecis. quanto mais dias imbecis se tem, maiores são as chances de se ter semanas seguidas de trabalho de tempos de revolução industrial. os dois deprimem. quanto mais se deprime, maiores são as chances de se ter dias imbecis. e assim a coisa vai.

registre-se que hoje eu tive um dia imbecil.

h1

tipos de namorado

novembro 3, 2009

Mais cinismo no “Tales of mere existence”, no AgentXPQ